Você veio, assim, PAM! Simplesmente veio. Chegou discretamente, mas decidida. Encontrou aquela brecha que há tanto tempo estava aberta e se instalou ali, com a naturalidade de quem deita na própria cama. Como se aquele espaço estivesse desde sempre reservado pra você. Com seu nome escrito e tudo mais. Começou com uma presilha de cabelo esquecida na cômoda, um cheiro no travesseiro, uma lembrança de um sorriso meio tímido. Depois vieram fios de cabelo caídos no sofá, uma toalha úmida, uma peça de roupa esquecida embaixo da cama. Mais tarde foi uma troca de roupa limpa, um pijama, um vidro de xampu para o seu tipo de cabelo. E agora, é sua roupa no varal, sua escova de dentes junto à minha, e esse vazio infinito toda vez que você se vai. E a eterna espera por "amanhã"...

-------------------------------------------------------------------

Estava escuro, mas mesmo assim atirei uma flecha pro alto, mirando naquele pássaro...mesmo sabendo que a flecha possa voltar e me atingir, espero que traga o que almejei...